MÁRCIO FALCHET
Entrevista Metal Vox & Eye of Shiva

MÁRCIO FALCHET

Confiram entrevista com Márcio Falchet, o mais novo "Guitar Hero" brasileiro!

Por Yuri Hamayano

Márcio Falchet é guitarrista, violonista, artista solo, produtor musical, músico arranjador, instrutor há mais de 10 anos, versionista, intérprete, compositor, instrumentista, etc. Reconhecido mundialmente pela mídia especializada como um grande virtuose da música, à idade de 23 anos, Falchet realmente impressiona pela técnica e influência Clássico-Erudita; muitos o comparam a, nada mais nada menos, Malmsteen. Mesmo possuindo um currículo invejável e já tendo ganhado vários prêmios de música, Falchet não deixa de lado a simplicidade e humildade – fato muito raro nos dias de hoje. Conferir esta entrevista não é o bastante, adquiram também o CD, auto-intitulado "Falchet".


1) Eye of Shiva - A priori, eu te parabenizo pelo ótimo trabalho lançado e também pelos inúmeros elogios que tem recebido nas mais diversas mídias. Estou realmente impressionado! Bem, conte-nos como é que surgiu a idéia do CD e como você conseguiu juntar tais músicos para completar as gravações – o que abrilhantou ainda mais a radiação ofuscante desta pérola?

Márcio Falchet - Desde cedo... Desde minha infância, eu tinha o sonho de poder gravar minhas próprias músicas, e com o passar dos anos, fui me aprimorando musicalmente e amadurecendo minhas composições. Meu objetivo sempre foi o de me tornar um "guitar hero" (um virtuose), principalmente pelos incentivos que tive de meu mestre: Meu Pai, o qual dedico a música Father de meu CD. O time que recrutei para este CD foi surgindo naturalmente, e procurei chamar músicos que pudessem alcançar os objetivos que eu pretendia chegar. Como eu fiz todas as composições, todos arranjos e toda a produção musical do CD, precisei então dos músicos certos para executa-las; foi aí então que os nomes foram surgindo. Maurício Leite (bateria), Jotinha (baixo) e Allex Bessa (teclados) foram os escolhidos, pois eles são extraordinários, e "são de outro planeta".

Foto: Fernando Winarski

2) Eye of Shiva - Então o seu pai também é um grande guitarrista? Você provém de um berço de músicos? Você, por morar em São Paulo, tem uma relação mais próxima com grandes músicos (dentre os quais muitos são ídolos com grande reconhecimento), além do mais, está num local onde há uma cultura à arte. Você acha que isso também influenciou o teu crescimento? Como anda o incentivo à arte por aí?

Falchet - Meu pai foi meu grande instrutor de música. Me ensinou a tocar desde minha infância. Aprendi com ele os primeiros acordes e noções básicas sobre música e logo depois, mais aprimorado, aprendi com ele muito violão clássico-erudito, Beatles – inclusive temos toda a coleção de Beatles em vinil lá em casa e etc. Ele, além de tudo, é um extraordinário cantor; tenor legítimo (aquele que alcança toda a escala) – isto é fenomenal... Cresci ouvindo ele cantar e tocar lá em casa e muitas vezes o vi compondo músicas. Era tudo muito legal e extraordinário. Muitas vezes fazíamos duetos tocando Beatles; um tocava a guitarra do John Lennon e outro a do George Harrison ou o baixo do Paul McCartney. Depois invertíamos e ele ainda cantava, eu acompanhava a segunda voz ou o coral e fazíamos isto com muitas músicas de diversificados estilos. A hora do blues era bem divertido... solos e solos... Meu pai foi guitarrista e tocava na noite, em bares, festas, etc. Hoje ele é meu empresário e ajuda a cuidar de minha carreira artística. Sempre tive o apoio dele para ser músico. Minha família sempre foi muito musical e o pessoal sempre se reunia para cantar e tocar.

Meu tio, Antônio Carlos, era um grande trumpetista, tocava qualquer instrumento e acompanhou grandes cantores: Martinha, Nilton César, Paulo Sérgio e muitos outros. Meu avô tocava violino e também cantava muito bem, minha tia tocava violão e teclado e também cantava bem, meu outro tio toca violão e canta bem, e muitos outros familiares... Meus ídolos são os Beatles, pela musicalidade, e os grandes gênios da música como: Beethoven, Bach, Paganini e Mozart. Os Beatles revolucionaram tudo em se tratando de grupos/bandas musicais. Qualquer estilo feito hoje em dia tem sua essência no trabalho que estes grandes músicos deixaram para nós, mesmo que seja indiretamente. Melhor “escola” que ouvir música clássica-erudita e Beatles não existe. Os Beatles também ouviam muita música “clássica” e eu cresci ouvindo tudo isto, assim aprendi e me aprimorei muito.

Para que se incentive a arte em nosso país, falta muito!!! Os maiores incentivos são para os esportes, o que é muito louvável, e nos últimos tempos a música tem ganhado mais espaços para isto. As coisas são pensadas da seguinte forma: para o governo federal, estadual e municipal, o que é mais barato e prático? Comprar uma bola de futebol para uma comunidade ou um violino? Compreendeu? Eu acredito que com o tempo e com a melhoria da administração de nossos governantes, nós conseguiremos mudar esta realidade, mas lembro que cabe a todos nós desempenhar nossos papéis para um país melhor de se viver e que tenha mais cultura. Eu acredito que um passo fundamental seria a música voltar a ser obrigatória nas escolas como o era antigamente. Todos saíam das escolas sabendo ler partituras, tempos e músicas... Era assim na época de meus pais.


3) Eye of Shiva - E sobre a produção do álbum? Vejo que não há nenhum patrocínio claro por trás do mesmo. Foi independente? Qual a sua relação com a Tagima?

Falchet - Meu álbum foi totalmente independente e bancado por mim através do salário que eu ganhava ensinando música. O que demonstra mais uma vez a triste cultura de nosso país. Mesmo estando aqui no centro financeiro do Brasil, São Paulo, eu tive que investir em meu sonho. Por isso digo a todos: Corram atrás de seus sonhos, não esperem pelos outros, pois o tempo passa e então... Atualmente estou usando guitarras Fender americanas. O som delas é insuperável, com isso atinjo os timbres que almejo.

4) Eye of Shiva - Já ouvi o trabalho de muitos guitarristas, dentre os quais lembro-me agora do Frank Solari, que mostra muita ecleticidade em seu trabalho ao explorar as mais variadas vertentes musicais. E você, porque escolher justamente o Heavy Metal? Você trabalha como músico? Conte mais sobre sua história profissional e sua relação com a música.

Foto: Fernando Winarski

Falchet - Fazer um disco “salada” não vale à pena... Você tem que definir um estilo, principalmente num primeiro trabalho como este. Apesar disto mostro muita versatilidade para um primeiro trabalho, também por questões de bom senso e maturidade musical procurei manter uma linha musical, um estilo. A escolha do estilo vem naturalmente, pois eu não fabrico música e sim a componho. O que quero dizer é que se deve ser espontâneo naquilo em que se faz... Com o caminhar dos discos é que se vai abrindo espaços para outras linguagens. Já há alguns anos, eu sou autodidata em música. Há 10 anos sou professor de música e não apenas de guitarra, também, como não tenho preconceitos musicais e ensino isto a meus alunos, eu toco qualquer estilo. A música é uma só, pois com uma simples nota você pode tocar Jazz, Blues, Rock, Choro, etc. Eu ensino música desde minha infância e gosto de ensinar. É legal ver um aluno com disposição para aprender e conseguir fazê-lo tocar aquilo que gosta. Sintetizando, eu sou um músico: guitarrista, violonista, artista solo, produtor musical, músico arranjador, instrutor, versionista, intérprete, compositor, instrumentista, autodidata, etc. Eu sou um apaixonado por música, por minha guitarra e amo o que faço, a música é minha vida e a minha grande alegria em viver!

5) Eye of Shiva - As pessoas, ao ouvirem ao CD, logo tecem pontes de comparação entre o teu trabalho e o de gigantes na guitarra, tais como Satriani, Steve Vai e, principalmente, Malmsteen. O que você acha disto?

Falchet - Eu fico muito, mais muito contente com estas comparações, pois eles são ícones da guitarra, são grandes músicos! Isto também me estimula a continuar aquilo que um dia comecei.

6) Eye of Shiva - Das doze faixas que compõe o álbum, apenas uma possui vocal: “Light for Everything”. Esta apenas confirma suas habilidades como compositor – parabéns também pela escolha de Ronaldo para os vocais. Porém me esclareça uma indagação: por que fazer um álbum basicamente instrumental?

Falchet - O Ronaldo é um extraordinário vocalista, com uma interpretação fora do comum! Eu brinco que a música "Light for Everything" é uma música instrumental que é cantada!!!!! hehehe........ Porque sou um instrumentista e devido aos objetivos de minha infância, resolvi fazer este álbum instrumental. Tenho muitas músicas cantadas prontas para os próximos discos bem como instrumentais, só que como sou "também" um instrumentista eu devo continuar com esta área, onde sempre em meus discos haverá espaços para isto.

7) Eye of Shiva - Eu já fui a várias apresentações de vários grupos instrumentais dentre os estilos Clássico, Blues, Jazz, etc... Porém nunca Heavy Metal – o que, aliás, me parece algo um pouco estranho! Você pensa em promover o álbum com apresentações ao vivo? Você acha que seria possível fazer essas apresentações com o mesmo Falchet time das gravações?

CD Márcio Falchet

Falchet - Em breve estarei promovendo meu álbum ao vivo, e confesso que não vejo a hora para isto acontecer. Pretendo fazer apresentações divulgando meu disco aqui no Brasil, nos Estados Unidos (onde a cada dia mais, obtenho muito reconhecimento por parte da mídia e do público), América Latina e pelo mundo. Pretendo ir a Europa, Japão e Ásia também, onde a cada dia consigo mais e mais aceitação. O único músico que gravou no meu CD, e que também estará em minha turnê de divulgação, é o tecladista Allex Bessa. Para os outros instrumentos procurei escolher outros músicos, pois é bom variar o time. Com isso, posso oferecer oportunidades, para que outros músicos possam mostrar seus valores.

8) Eye of Shiva - Você possui planos de expandir seus trabalhos didáticos e/ou musicais para a internet? Hoje em dia este é um ótimo meio de comunicação (pela velocidade e versatilidade, e isso é uma característica sua!). Além disto ajudaria na divulgação do seu trabalho...

Falchet - Sim. Em breve estarei lançando meu site na web, que irá conter muitas informações e novidades a meu respeito. Divulgar um trabalho musical pela internet é excelente, justamente pela praticidade, velocidade, dinamismo... As gravadoras deveriam enxergar esta nova realidade e adaptar seus sistemas a este tipo de visão!

9) Eye of Shiva - Falchet, muitíssimo obrigado por nos ceder o seu tempo nesta entrevista – espero que muitos possam se inspirar em suas sábias palavras! Inclusive, queria te parabenizar por esta sua infinita simplicidade (todos daqui que tiveram o prazer em contatar-te comentaram isso!) – bem diferente dos astros ao qual te comparam... Com isso só tens a crescer!!! Aproveite para deixar uma mensagem para os guitarristas que estão começando agora...

Falchet - Muito obrigado a todos pela entrevista e principalmente por muito contribuírem com minha carreira. A mensagem que gostaria de deixar para os guitarristas e músicos que estão começando agora é: Acreditem em seus sonhos com fé e humildade que eles se tornarão realidade, não duvidem de si mesmos, pois o nosso maior obstáculo somos nós próprios. Lembre-te, isto vale para "tudo" na vida! Luz a todos... Um grande abraço. Márcio Falchet.

Contatos: mfalchet@marciofalchet.net